terça-feira, 14 de julho de 2009

segunda estrela à direita

Ela fica sentada naquela cadeira de balanço na varanda cantando baixinho com o vento que anuncia a chuva. Nas mãos páginas em branco contam da saudade de uma tarde perdida. Quando ela encontrou o amor em uma coleção de revistas velhas. Agora ela trança o cabelo misturando os nós dos dedos com fitas de um amor novo. Mal chegou e foi-se na fumaça que fazia enquanto eles olhavam o céu. Por muito tempo julgou estar perdida, mas hoje, quando o sol se punha e inundava o mundo de luz, ela soube. Em uma fração de segundo, o tempo fez sentido e ela reconheceu seu propósito. Ela é o amor. A nascente. Por isso, nesse instante, o riso contido não espera o carnaval e nela, no canto esquerdo da boca, finalmente, vê-se o beijo escondido há tanto tempo.
Vocês trazem alegria para esta casa.

3 comentários:

D disse...

lindo!

Donana disse...

Você me arrepia ... de tanta beleza, tanta verdade, tanto sentido. Que bom que estás por perto!

Denise disse...

O Amor em nós é a presença do Divino.

Amar....apenas e tão somente
Tão lindo aqui

Tem minha gratidão e carinho por me permitir ler-te

Denise