sábado, 25 de julho de 2009

Lola - Chico Buarque/1987

Ah, se ele soubesse... Ela altera a realidade num estalar de dedos. Embrulha dor e riso no mesmo presente. Faz da novidade, reconhecimento. Se ele soubesse que ela rega a saudade com o cheiro que ele deixa. Que ela abre a porta e o coração com aquele estalo metálico da última volta da chave, quando ouve seus passos na escada. Que ela diz “Bom dia” querendo dizer “Me beija”. Se ele soubesse que ela encara o telefone intimando-o a tocar. Se soubesse dos suspiros e do desejo. Da ânsia e da tempestade. Se soubesse que ela calça 36 e que já fez coleção de meias chegaria à óbvia conclusão que hoje ela coleciona fivelas de cabelo. Mas ele não sabe. Nem dos girassóis nem de Almodóvar. Tampouco de Ludwig ou Bouguereau. Não há tempo para essas imensas minúcias. E ainda bem, ainda bem que ele não sabe. Nem ela sabe. De nada sobre ele. Assim é melhor, ela mantém seu carneiro na caixa e resolve as dissonâncias do mundo.

Vocês trazem alegria para esta casa.

6 comentários:

Rosa Magalhães disse...

Arrisco um palpite: talvez não seja preciso descobrir mais do que diz o olhar dele, principalmente se for intenso como as suas palavras...

É tão bom poder vir aqui e te deixar meu beijo, moça! ^^

Donana disse...

rs! Eu sei, eu sei, eu sei ... sei quase tudo sobre ela!

Denise disse...

è.......escrevi eu sobre Saudades e esperança.....ou a falta dela.....e eis aqui esse olhar insistente para o telefone tb.

suspiros

Denise

Joana disse...

Descobrir é boooommmm.... bem melhor que saber!

KROKUS disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
SUPEROIL RECORDS disse...

KROKUS

foi legal dar uma lida rapida. Vc escreve muito bem!