domingo, 10 de maio de 2009

Este amor se autodestruirá em cinco segundos...

Não, esse não é um amor para a vida toda. Menos ainda amor eterno. Esse é um amorzinho daqueles bem “meia boca”, daqueles reles e sem propósito. Um amorzinho ridículo e medíocre. Sem tempo, passado ou futuro que o justifique. Sem boas lembranças e sem esperança alguma. Amorzinho chinfrim. Sem bilhetes ou flores. Sem presentes ou surpresas. Amorzinho insignificante, cheio de lacunas e com nada de plenitude. Amor pouco, na medida. Amor quase nada. Amorzinho cheio de coisa nenhuma. De mentira. De ilusão. Amorzinho prolixo e moroso. Sem um fim que o valha, a não ser, é claro, o fim da história.
.
.
.
.
.
Vocês trazem alegria para esta casa.

3 comentários:

Ana Patrícia disse...

Putz ... E vale amor assim? Penso que amor é sem lacuna e com lembrança, se não é qq outra coisa fria e tola ... não amor. Bjs!

Helô Müller disse...

Eu "a d o r e i" o que li ...
Amor chinfrim ou coisa que o valha, mas definitivamente muito bem descrito por vc !! Conseguiu inspiração e criatividade pra definir um amor assim, imagine um amorzão arrebatador, profundo e verdadeiro ?!
E se quer saber, acho que meus amores foram todos assim ... Escolhas erradas ?? Possivelmente ... mas um dia eu chego lá !! rs
Beijos e tou na tua cola, apesar de andar sem tempo pra cumprir minhas visitinhas blogais ! Vi vc na maravilhosa cabecinha de nome Denise e aqui estou eu ... rs
Besos e prazer !
Helô Müller

Silvinha disse...

genial o post.
adorei o blog.
i'll be back, baby.