segunda-feira, 29 de junho de 2009

05/08

É por ele o suspiro quebrado, a mão do queixo e o coração aos pulos. É dele a saudade, o cheiro que me cerca e a mão no meu cabelo. Sou dele. Desde o número do meu telefone ao baú de cartas. Nunca amanhecemos juntos, mas é o som do seu riso que guia a minha paz. Porque sou mutável, translúcida, líquida, absurdamente inconstante e ainda assim, por tudo e depois de tudo, eu sei: por mais afluentes que eu tenha é nele que vou desaguar.
vocês trazem alegria para esta casa.

6 comentários:

Laís Romero disse...

O amor perfeito.

David Cantídio disse...

Oi. Pode, claro. te linkei de volta. Obrigado. Fico muito feliz de proporcionar uma sensação boa a alguém. Espero que volte sempre.

beijo

Quem é ela? disse...

Que bonito de ler.

:)

lexandre disse...

Hm, mão no cabelo. Lembro de uma garota que uma vez me disse que ficava enfurecida quando pegavam no cabelo dela. Quando estávamos juntos eu ficava com medo de encostar naquelas madeixas bonitas dela, mas um dia não resisti.

Foi a primeira vez que a vi sorrindo de olhos fechados.

Donana disse...

:-O

Raquel Guedelha disse...

Eu sempre fico encantada, sempre...